Consumidores de São Paulo – AES Eletropaulo.

Tarifa de energia elétrica tem reajuste médio de 15,8% na Grande São Paulo. São 7,2 milhões de unidades consumidoras na região metropolitana de São Paulo atendidas pela Eletropaulo, incluindo a capital paulista

O Reajuste Tarifário Anual da AES Eletropaulo, definido ontem, dia 28/06/2018, em reunião de diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), foi de – 1,29%, composto por reajuste econômico de -3,48% e componente financeiro de +2,19%.

Descontado o componente financeiro considerado no último processo tarifário, o efeito médio para os clientes da distribuidora será de -8,10%. A redução varia de acordo com o nível de tensão, sendo de -9,74% para alta tensão, como a indústria, e -7,30% para baixa tensão, como as residências.

Novas tarifas poderão ser aplicadas a partir desta quarta-feira. Reajuste médio para consumidores residenciais será de 15,14%, mas o efeito para os clientes será sentido 100% a partir do faturamento de agosto. A redução dos encargos setoriais, do valor de compra da energia, com o desligamento das térmicas, e do dólar foi a maior responsável pelo impacto na diminuição da tarifa.

A Eletropaulo atende 7,2 milhões de unidades consumidoras na região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital paulista. Entre os itens que mais pesaram no reajuste aprovado pela Aneel está o custo da compra de energia elétrica pela distribuidora, que foi impactada pela alta no custo da energia da usina de Itaipu.

Cidades atendidas pela Eletropaulo:

 

  • Reajuste  de 15,5%  para as cidades atendidas pela Energisa  a partir de 12 de julho.Cidades atendidas pela Energisa : Bragança Paulista, Vargem e Joanópolis.

 

  • Reajuste  de 15,55%  para a região de Presidente Prudente atendidas pela concessionária Energisa Sul-SudesteEmpresa atua em 29 municípios do Oeste Paulista.

 

Sobre o Reajuste Tarifário Anual

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) é a entidade federal responsável por regular e fiscalizar os serviços de energia elétrica, bem como por fixar o valor da tarifa para todas as concessionárias de distribuição de energia do Brasil. Há duas formas adotadas pela ANEEL para alterar as tarifas, por reajustes tarifários anuais ou revisões tarifárias, que acontecem a cada quatro anos.​​

 

Em julho, bandeira tarifária permanece vermelha patamar 2

A bandeira para o mês de julho será vermelha patamar 2, com acréscimo de R$ 5 a cada 100 kW.

 

Pelos cálculos da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o déficit hidrológico médio de 2017 ficou em 79%, o que significa que as hidrelétricas geraram 21% menos do que o volume de energia que tinham direito de comercializar.

Para compensar a menor geração hídrica, foram acionadas termelétricas, que produzem uma energia mais cara, gerando custo adicional para o sistema. Esse custo deveria ser coberto pela receita proveniente das bandeiras tarifárias, mas tendo em vista o alto preço da energia de curto prazo registrado ao longo do ano, justamente pela geração térmica, o valor arrecadado não tem sido suficiente para fazer frente às necessidades.

ENERGIA SOLAR

Energia Elétrica Solar Fotovoltaica

Trata-se da produção de eletricidade para uso geral de empresas e residências, utilizando-se a luz do Sol (fótons) capturada em células de Silício. É uma alternativa muito econômica,  avançada e difundida pelo mundo. Utilizada há quase cinquenta anos em estações espaciais; agora se consolida comercialmente no Brasil. A parceria entre Brasil e Alemanha, referência neste campo, favorece nossos padrões de qualidade.

Todos os anos o Sol emite no Planeta Terra uma quantidade de energia milhares de vezes superior à toda energia consumida pelo homem. Aproveitá-la, além de gerar muita economia, significa também preservação ambiental e respeito ao futuro de todos. É uma fonte de energia 100% limpa e inesgotável.

Chegou a hora de parar de se preocupar com essas variações tarifárias! A solução está na instalação de placas fotovoltaicas para a geração da própria energia.

ECONOMIA NA CONTA DE LUZ

O preço da energia elétrica sofre aumentos anuais que podem passar dos 40%. Com a Autogeração seus gastos com eletricidade serão largamente reduzidos, proporcionando ao longo de mais de 25 anos uma economia cumulativa de grandes proporções. A conta de luz não alcança o custo zero, pois existem os encargos de contratação do serviço junto à distribuidora, mas a economia pode ultrapassar os 90%, conforme o projeto contratado.

FLUXO DE CAIXA ACUMULADO – INVESTIMENTO E RECUPERAÇÃO

O tempo de recuperação do investimento (Payback) varia conforme cada projeto. Se a opção for o financiamento bancário, o custo mensal poderá situar-se na média já reduzida da própria conta de luz, até a quitação do financiamento, uma vez que o sistema esteja em funcionamento e homologado pela distribuidora. Daí em diante, a economia é cumulativa.

Produzindo a sua própria energia, você economiza e garante o futuro do planeta par as próximas gerações!

Faça o seu orçamento instantâneo e sem compromisso em www.sunergia.com.br

 

#ComSoltudoMelhora @Sunergia | energia solar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *