À medida que os conjuntos fotovoltaicos envelhecem, muitas causas podem contribuir para o mau desempenho do sistema. Algumas causas são previsíveis, como perdas por sujeira ou degradação da matriz a longo prazo. Outras são inesperadas, como falhas em diodos de desvio ou módulos quebrados. Traçadores de curva I-V são cruciais para identificar sintomas de baixo desempenho, capturando todos os pontos operacionais de corrente e tensão de um gerador solar fotovoltaico, algo que nenhum outro equipamento faz.

O que é a Curva I-V?

A curva I-V (corrente versus tensão) é uma representação gráfica que mostra a relação entre a corrente elétrica (I) e a tensão (V) em um módulo ou string fotovoltaico (FV). Esta curva é essencial para entender o desempenho e a eficiência de sistemas fotovoltaicos, fornecendo informações críticas sobre o comportamento elétrico dos módulos sob diversas condições de operação.

Cada folha de dados de um módulo fornece uma curva I-V modelo que representa todas as combinações de corrente e tensão possíveis sob condições de teste padrão (STC). Quando uma curva I-V medida difere significativamente em altura, largura ou formato da curva I-V prevista, ajustada para condições reais de irradiância e temperatura, a natureza do desvio fornece pistas sobre possíveis problemas de desempenho. Traçadores de curva I-V, como o Fluke Solmetric, são fundamentais na detecção desses sintomas de desempenho inferior.

Os sistemas fotovoltaicos são soluções promissoras para atender às demandas energéticas sustentáveis, mantendo a eficiência energética e oferecendo redução de custos, payback e vida útil sem necessidade de constantes revisões. O teste de curva I-V é essencial na avaliação do comportamento elétrico dos módulos solares e na otimização da produção de energia. Esta curva relaciona a tensão e a corrente na saída de um módulo ou conjunto de módulos, permitindo identificar se os módulos estão funcionando bem ou apresentam problemas.

A importância do Teste de Curva I-V

O teste de curva I-V é fundamental para:

  • Comissionamento de sistemas FV: Verificação inicial para garantir que os módulos estão funcionando conforme as especificações.
  • Diagnóstico e manutenção: Identificação de problemas, como sombreamento, defeitos de fabricação, degradação e falhas de conexão.
  • Otimização do desempenho: Ajustes finos para maximizar a eficiência e a produção de energia.

Com sensores de temperatura e irradiância, é possível mensurar os principais parâmetros elétricos em duas parametrizações: condições de operação (OPC) e condições de teste padrão (STC). A normalização dos valores medidos permite a comparação com as condições STC.

Embora o traçado da curva I-V muitas vezes seja negligenciado pelos integradores devido ao custo do equipamento ou por ser considerado um item opcional da norma ABNT NBR 16274:2014, é uma ferramenta valiosa para diagnosticar o estado de saúde das strings em sistemas fotovoltaicos, revelando corrente de curto-circuito, tensão de circuito aberto e potência de pico. Problemas como falhas na instalação, defeitos nos módulos e impactos mecânicos podem ser detectados pelo traçador de curva I-V, evitando insatisfação do cliente e problemas de desempenho na produção de energia.

O teste de curva I-V pode ser realizado durante o comissionamento do sistema ou verificações periódicas, comparando a curva medida com a fornecida pelo fabricante para detectar defeitos. Considerações de segurança são fundamentais, e a instalação de sensores auxiliares e a abertura da chave seccionadora são passos importantes para realizar os testes de forma segura.

Em usinas solares de grande porte, os traços da curva I-V, são medidos em caixas combinadoras isoladas, permitindo a identificação de circuitos de fonte com baixo desempenho. O fator de desempenho (PF) quantifica a correspondência entre a curva I-V medida e a prevista, sendo um fator entre 90% e 100% indicativo de bom funcionamento.

Conclusão

O teste de curva I-V é uma ferramenta vital no comissionamento e manutenção de sistemas fotovoltaicos. Ao fornecer uma visão detalhada do comportamento elétrico dos módulos, este teste ajuda a garantir que os sistemas FV, operem com máxima eficiência e confiabilidade. A realização regular deste teste pode prolongar a vida útil do sistema e otimizar a produção de energia, assegurando um retorno robusto sobre o investimento em energia solar.

Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *